Internacional «Ad Limina»: Bispos de Portugal iniciaram visita ao Vaticano

Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa presidiu à Missa junto túmulo de São Pedro

Paulo Rocha, enviado da Agência ECCLESIA ao Vaticano
Cidade do Vaticano, 07 set 2015 (Ecclesia)

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) presidiu hoje à Missa de abertura da visita “ad Limina” dos bispos de Portugal ao Vaticano.
“Este é o primeiro lugar da nossa visita”, afirmou D. Manuel Clemente, junto ao túmulo de São Pedro, na Basílica do Vaticano.

Ler mais..

 
{fshare id=99} {plusone id=99}

24 horas para o Senhor

Teremos na nossa paróquia na próxima sexta-feira e sábado uma jornada de oração.

“Chega a hora e é já em que os verdadeiros adoradores do Pai adoram-n’O em espírito e em verdade”. (Jo 4, 23)

Assim no próximo sábado, dia 25, teremos adoração, na Igreja Paroquial, das 10h às 12h.

{fshare id=383} {plusone id=383}

 

80 concertos: Festival Internacional de Órgão de Tubos

O Festival Internacional de Órgão de Tubos visa assinalar os 30 anos do grande órgão de tubos da Sé. A iniciativa vai decorrer em algumas das Igrejas mais emblemáticas da cidade, como são os casos de S. Bento da Vitória, S. Francisco,Grilos e Lapa. De 11 a 20 de Outubro. O Festival passará pela nossa paróquia! O concerto vai ter lugar no dia 18 de outubro às 17h30m na Igreja Paroquial.

:: Aceda aqui ao PROGRAMA do FESTIVAL

:: Aceda aqui à notícia

 

{fshare id=121} {plusone id=121}

A Caminho, com Maria, pelas Fontes da Alegria!

“As grandes ânforas de pedra que Jesus manda encher de água para a transformar em vinho (cf. Jo 2,7) são sinal da passagem da antiga para a nova aliança: no lugar da água usada para a purificação ritual, recebemos o Sangue de Jesus, derramado de modo sacramental na Eucaristia e de maneira cruenta na Paixão e na Cruz. Os Sacramentos, que brotam do Mistério pascal, infundem em nós a força sobrenatural e permitem saborear a misericórdia infinita de Deus.”

(Papa Francisco, Angelus, 17.01.2016)


Primeira Semana da Páscoa – ANÚNCIO ( Ver mais)
Estamos na primeira semana da Páscoa. São os primeiros oito dias, num total de cinquenta. Estes cinquenta dias são como um grande domingo, em que a Igreja celebra, com alegria e júbilo, o mistério pascal. Ao longo deste tempo, tão belo, a liturgia recorda a Mãe de Jesus, na sua profunda alegria pela ressurreição de Cristo e na sua oração com os Apóstolos, esperando confiadamente o dom do Espírito Santo (cf. CMVSM, p. 90). De Maria, a Igreja aprende também a ser mãe que gera, embeleza e alimenta os seus filhos, através dos sacramentos do Batismo, Crisma e Eucaristia. Escutemos agora um bocadinho do Evangelho, que ouvíamos na noite de Páscoa.

Segunda Semana da Páscoa - MISERICÓRDIA ( Ver mais)
Estamos na segunda semana da Páscoa. Nos primeiros séculos, os cristãos que tinham sido iluminados pelo batismo, ungidos pelo crisma e alimentados pela Eucaristia, na noite de Páscoa, apresentavam-se, no segundo Domingo da Páscoa, vestidos de branco, diante da comunidade. Por isso se chamava domingo «in albis» (de branco / em branco). Ainda conservamos a nossa veste batismal, a lembrar-nos que fomos revestidos de Cristo, pelo Batismo? Mas celebrámos também, por vontade de São João Paulo II o Domingo da Divina Misericórdia. O Evangelho deste domingo, reporta-nos à alegria dos discípulos na tarde do Domingo de Páscoa.

Terceira Semana da Páscoa - PEREGRINAÇÃO( Ver mais)
Estamos na terceira semana da Páscoa. O Evangelho deste domingo reporta-nos à cena dos discípulos de Emaús, na tarde de Páscoa. Na sua mensagem para o próximo Dia Mundial das Vocações, que assinalaremos no próximo domingo, o Papa refere este caminho que Jesus faz com os discípulos de Emaús. É um texto que bem vale a pena ler na totalidade (Lc 24,13-35).

Quarta Semana da Páscoa – VOCAÇÃO( Ver mais)
Começámos esta quarta semana da Páscoa, celebrando o Dia Mundial de Oração pelas Vocações e, em Portugal, o Dia da Mãe. E estas duas dimensões, a maternidade e a vocação, andam sempre juntas. Lembremos as belas palavras do jovem profeta Jeremias: “O Senhor me chamou desde o ventre de minha mãe” (Jr 1,5). Quer a Igreja, nossa mãe, quer a mãe que nos deu à luz, são muito importantes, para nos conhecermos a nós mesmos e conhecermos a vontade de Deus a nosso respeito. Deus espera a nossa resposta, quando nos chama.

Quinta Semana da Páscoa - SERVIÇO( Ver mais)
Estamos ainda em Páscoa. Vivemos a feliz experiência da visita do Papa Francisco ao Santuário de Fátima. Que bela é a multidão dos fiéis, em oração, contando sempre com a presença de Maria, nossa Mãe. Agora é preciso que cada um se torne um bom servidor da comunidade, tal como os serventes, nas bodas de Caná (cf. Jo 2,5), prontos a fazer tudo o que o Senhor nos mandar. A Igreja precisa de todos, do serviço humilde de cada um, para crescer como templo espiritual.

Sexta Semana da Páscoa – TESTEMUNHO( Ver mais)
Estamos na sexta semana da Páscoa. Aproxima-se o Pentecostes e, com ele, a festa do Espírito Santo, que nos é dado, não para ser guardado, mas para se tornar mais forte e mais belo o nosso testemunho de Cristo.
A sexta semana da Páscoa prepara-nos já para o acolhimento do Espírito Santo, que nos é dado, para o TESTEMUNHO. Os cristãos da Samaria experimentam a alegria de quem acolhe a Pala6ra e é ba78ado, mas precisam de ser confirmados na fé, pelo testemunho dos Apóstolos Pedro e João. Os Apóstolos transmitem-lhes o dom do Espírito Santo, para fa8er dos cristãos testemunhas corajosas do E6angelho. É preciso que eles estejam sempre prontos a dar testemunho das ra8ões da sua esperança no Senhor (cf. 1 Pe 3,15-18). Pelo que, nesta semana, somos desafiados a 6alori8ar o testemunho corajoso e contagiante de uma fé, alegre e audaciosa. O testemunho é a primeira forma de evangelização.

Sétima Semana da Páscoa – ESPERANÇA( Ver mais)
Celebrámos a Ascensão. “A Ascensão de Cristo é a nossa esperança: tendo-nos precedido na glória para aí nos chama como membros do seu Corpo”. Deste modo, a Ascensão do Senhor desperta em nós os desejos da pátria celeste e ilumina os olhos do nosso coração, para compreendermos a que esperança fomos chamados (cf. Ef 1,17-23).
Às vezes, esquecemos que a nossa ESPERANÇA em Cristo não é apenas para viver melhor a vida presente. É esperança da vida eterna, daquela vida em plenitude que só em Deus, poderemos alcançar. Por isso, queremos ir para o Céu, com esta certeza: não é Deus que está no Céu. É o Céu que está em Deus.

{fshare id=378} {plusone id=378}