5.º Domingo: A Aliança Conjugal

A 1.ª leitura deste Domingo oferece-nos um belíssimo texto, com o anúncio e a promessa da nova Aliança. A nova Aliança, prometida no livro de Jeremias (Jr 31,31-34), será gravada no coração. O coração novo é afinal a grande arca do tesouro: «Onde estiver o teu tesouro aí estará o teu coração» (Mt 6,21).

Vale a pena aprofundar o significado da palavra Aliança e da sua íntima ligação ao Matrimónio, porque esta perspetiva é muito pouco conhecida e compreendida, entre nós. “Não esqueçamos que a Aliança de Deus com o seu povo se exprime como um desposório (cf. Ez 16, 8.60; Is 62, 5; Os 2, 21-22), e a nova Aliança é apresentada também como um matrimónio (cf. Ap 19, 7; 21, 2; Ef 5, 25)” (AL 318, nota 378). E a partir daqui podemos refletir mais atentamente sobre o casamento como vocação cristã a exprimir o amor e a Aliança de Deus connosco (cf. AL 71-75 e 131-132; 279; 318).

Sabemos bem que nem todas as famílias estão constituídas por casais. Basta pensar nas famílias monoparentais e em pessoas que vivem sozinhas ou mesmo abandonadas. Mas, em todo o caso, urge compreender, anunciar e celebrar a beleza do sacramento do Matrimónio, a partir da imagem da Aliança. É um desafio para todos, mesmo para aqueles que ainda não correspondem plenamente ao ideal do Matrimónio (casais em união de facto ou casados civilmente) ou já não o podem alcançar, depois de algumas feridas abertas ou de ruturas consumadas.

Em família, podemos:
  • Celebrar a oração proposta e/ou adaptada.
  • Desenhar e colocar no cantinho da oração o coração da família, no qual podemos inscrever três qualidades de cada pessoa, na certeza de que «o homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o que é bom» (Lc 6,45).
  • Revisitar o álbum ou o filme do Matrimónio (se os houver).
  • Meditar a 1.ª leitura e enriquecer a compreensão do significado das Alianças que trocaram entre si, ou doutros sinais que fazem parte do rito do Matrimónio (AL 216).
  • Renovar os compromissos do Matrimónio (cf. Ritual do Matrimónio, n.º 277) e/ou a renovação das Alianças (Ritual do Matrimónio, n.º 279).
5º domingo: matrimónio

Introdução
Guia. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
R. Ámen.
G. Celebrastes connosco, Senhor, uma aliança eterna.
R. Renovamos, hoje, o nosso sim!

Invocação (recitada alternadamente pela família, dividida em 2 grupos)
A – Se Deus está por nós, quem estará contra nós?
B – Como não havia Deus de nos dar, com Jesus, todas as coisas?
A – Grandes e admiráveis são as vossas obras, Senhor.
B – Bendito sejais para sempre.

Leitura
G. Escutemos Deus que nos fala através do profeta Jeremias (Jer 31, 31-33)
Dias virão, diz o Senhor, em que estabelecerei com a casa de Israel e com a casa de Judá uma aliança nova. Não será como a aliança que firmei com os seus pais, no dia em que os tomei pela mão para os tirar da terra do Egipto, aliança que eles violaram, embora Eu tivesse domínio sobre eles, diz o Senhor. Esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel, naqueles dias, diz o Senhor: Hei de imprimir a minha lei no íntimo da sua alma e gravá-la-ei no seu coração. Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Palavra do Senhor.
R. Graças, a Deus!
 
Reflexão
– Qual foi a primeira aliança de Deus com o Seu povo?
Pai: Foi a aliança do Sinai em que Deus entregou a Moisés as tábuas da Lei, com os dez Mandamentos, que são o roteiro que o povo devia seguir para ser fiel a Deus e viver na liberdade.
– Qual é a novidade da nova aliança que o profeta anuncia?
Mãe: A lei da nova aliança será gravada no coração. Já não se trata uma mera obediência exterior a um conjunto de leis; o nosso próprio coração será cativado pela Lei do Amor e ser-nos-á espontâneo aderir com todo o nosso ser à vontade de Deus manifestada em Jesus.
– Que significa uma aliança gravada no coração?
Pai: O coração é a sede dos sentimentos, dos pensamentos, dos projetos, das decisões e das ações do homem; é o centro do ser, onde cada pessoa dialoga consiga mesmo, toma decisões e assume responsabilidades.

Oração
G. Rezemos ao Senhor através dos Salmos (cf. Salmo 50/51), dizendo:
Refrão - Todos: Dá-me, Senhor, um coração puro.
A. Compadece-Te de mim, ó Deus, pela tua bondade, pela tua grande misericórdia, apaga os meus pecados.
B. Lava-me de toda a iniquidade e purifica-me de todas as faltas.
Refrão - Todos: Dá-me, Senhor, um coração puro.
A. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e faz nascer dentro de mim um espírito firme.
B. Não queiras repelir-me da tua presença e não retires de mim o teu espírito de santidade.
Refrão - Todos: Dá-me, Senhor, um coração puro.
A. Dá-me de novo a alegria da tua salvação e sustenta-me com espírito generoso.
B. Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor.
Refrão: Dá-me, Senhor, um coração puro.
G. Transformados pelo Espírito e com o coração de filhos, rezemos e renovemos a nossa aliança conjugal e familiar:
Pai: Deus da Aliança, do Amor e da Paz, dá-nos um coração novo e faz dele a arca da aliança, para guardarmos fielmente o tesouro imenso do Teu amor.
Mãe: Senhor Jesus, divino Esposo, fortalece e renova o amor dos casais, para que as alianças, no dedo mais frágil, sejam um sinal do amor com que nos amas, todos os dias e até ao fim.
Filho/a: Espírito Santo, Deus-Amor, sê o nosso conforto na tristeza e na dor vem em nosso auxílio nas dificuldades. Enche a nossa casa com a abundância da alegria, do perdão e da consolação.
Todos: Ámen.
Todos: Pai Nosso

Atividade
Marido: Agora vamos colocar na arca o papiro que revela o tesouro que vamos valorizar ao longo da semana: o matrimónio. Os casais usam uma aliança e com isso querem recordar que o seu amor é um sinal vivo e eficaz do amor de Deus pelo seu Povo e do amor de Cristo pela sua Igreja.
Filho (filha): O Matrimónio é um sacramento da nova aliança, pois a aliança entre os esposos torna presente e vive da aliança de Deus connosco. Deus ama-nos com a paixão de um verdadeiro amor. E o amor de Cristo pela Igreja é a medida do amor que une marido e esposa.
Esposa: Esta semana podemos colocar no cantinho da nossa oração o álbum ou uma foto do nosso casamento.
Marido: Por isso, podemos colocar no cantinho da oração um coração e pedir ao Senhor um coração novo. O coração novo é a verdadeira arca da aliança.
Bênção final
G. O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna.
R. Ámen.
 
Partilha

Grupo de Acólitos

Site do Grupo de Acólitos da Paróquia da Nossa Senhora da Boavista.

Diocese do Porto

Site da Diocese do Porto.