Agenda Semanal


Mês do Rosário e mês das Missões. Tema: “Eis-me aqui, envia-me”. Oração do terço (semana), Igreja Paroquial, às 12h.

Catequese: de acordo com as orientações enviadas por email e que podem ser consultadas no site da paróquia. O horário da catequese: 2ª, 3ª e 4ª feira: 1º e 2º ano: das 18h15 às 19h15. 3º e 4º ano: das 18h30 às 19h30. 5º e 6º ano: das 18h45 às 19h45. Ao sábado: Das 17h30 às 18h30.

Grupos de Jovens: seguem as mesmas orientações da catequese. Horário: 2ª, 3ª e 5ª das 19h às 20h. Os Grupos do 12º ano e universitários irão escolher o horário de acordo com as suas disponibilidades.

  • 18 de outubro (domingo)
    • Dia Mundial das Missões.
    • Festa do Acolhimento das Crianças do 1º ano da catequese, missa às 10h45.
  • 19 de outubro (2ª feira)
    • Reunião Legião de Maria, às 21h.
    • Reunião Grupo ARO (Acção, Reflexão e Oração), às 21h30.
  • 20 de outubro (3ª feira)
    • Reunião Grupo Litúrgico, às 21h30.
  • 21 de outubro (4ª feira)
    • Trabalhos Vin Por Ti, às 21h30.
    • Reunião Famílias Anónimas, das 21h30 às 23h.
  • 22 de outubro (5ª feira)
    • Reunião de Pais - Grupos de Jovens, Igreja Paroquial, às 21h30m.
  • 24 de outubro (6ª feira)
    • Reunião ENS 142, às 21h30.

Unidos como família cristã.
Pe. Feliciano Garcês

Partilha

Catequese - Orientações

Estamos a dar início ao novo ano pastoral. Teremos como lema: Unidos como família cristã. Este ano começa em circunstâncias particulares que exigem de nós um cuidado muito grande. A catequese é importante para as crianças e adolescentes. Depois de termos recolhido várias opiniões, temos reunidas as condições para dar início ao novo ano de catequese com sessões presenciais.
Peço a vossa atenção para as orientações que se seguem, tendo sempre presente, que em qualquer momento podem estar sujeitas a modificações, de acordo com as orientações que possam surgir das entidades competentes.
27 de setembro (domingo): Missa de início de catequese: compromisso de catequistas, às 10h45.
28 de setembro (2ª feira): Início dos encontros de catequese.

Horário da catequese
O horário da catequese: 2ª, 3ª e 4ª feira:
1º e 2º ano: das 18h15 às 19h15.
3º e 4º ano: das 18h30 às 19h30.
5º e 6º ano: das 18h45 às 19h45.
Ao sábado: das 17h30 às 18h30.

Os encontros serão semanais mas, nos grupos mais numerosos, podem passar a quinzenais, isto é, dividir o grupo em dois. Assim, metade vem à catequese e a outra metade fica em casa. Será bom para os que ficam em casa ter uma actividade relacionada com o tema para realizar em família. Cada catequista gere o seu grupo de acordo com o número de catequizandos e a sala disponível.

A entrada continua a ser a mesma, mas sem a passagem pelo salão e pelo bar; faz-se pela porta mais à direita no pátio interior. À chegada as crianças irão directamente para as salas. Os catequistas entram pela porta da portaria da paróquia e deslocam-se para as salas, onde esperam as crianças.
À entrada todos devem usar máscara e será feita a higienização das mãos. Todos devem entrar devidamente higienizados, com máscara e fazendo todo o possível para não se cruzar com outras pessoas.

O contacto com as famílias pode ser feito no pátio, mantendo o distanciamento físico recomendado, possibilitando que a articulação possa ser veiculada ou complementada, regularmente, via telefone ou por meios digitais, de modo a que, na adaptação a esta nova realidade, haja articulação e continuidade entre os catequistas e a família.

O acesso às salas é limitado apenas aos catequistas e às crianças. Nas salas serão mantidas as medidas de distanciamento, garantindo a maximização do espaço entre pessoas. Desta forma, as mesas das salas estarão dispostas com a mesma orientação, evitando uma disposição que implique as crianças viradas de frente uns para as outras. Nas salas estarão apenas os acessórios e materiais essenciais para as atividades da catequese, não haverá material comum, cada criança terá o seu material individual necessário. Será privilegiado o uso do próprio material e será proibida a sua partilha. Qualquer material que necessitem será de uso único e individual.
A ventilação e arejamento das salas e corredores serão mantidas, sempre que possível, nunca comprometendo a segurança das crianças.
As idas à casa de banho serão de 1 criança de cada vez.

A sala de isolamento é no piso 1, está devidamente identificada e sinalizada, tendo um WC específico e igualmente identificado e sinalizado no mesmo piso da sala de isolamento (Piso 1). Estará equipada com: cadeiras, telefone, água, sumos e bolachas (tudo em doses individuais).

Será maximizado o distanciamento físico entre as crianças quando estão em mesas, sem comprometer o normal funcionamento das atividades da catequese.
Será assegurada a higienização e desinfeção das instalações de acordo com as recomendações da DGS (Orientação 014/2020), recorrendo a detergentes e desinfetantes certificados.
Será assegurada a higienização dos locais mais suscetíveis de contaminação (como corrimãos, interruptores e maçanetas de portas e janelas) várias vezes.
Estará disponível sabonete líquido com comando não manual para a lavagem das mãos, toalhetes de papel para a secagem de mãos e caixote do lixo com saco plástico, de comando não manual.
Apesar das regras atuais de distanciamento físico, importa não perder de vista a importância das aprendizagens e do desenvolvimento das crianças.
É igualmente importante estar atento ao bem-estar das crianças e responder às necessidades emocionais, físicas e cognitivas das mesmas, uma vez que o desenvolvimento e a aprendizagem são indissociáveis.

É essencial considerar que as interações e as relações que as crianças estabelecem com os adultos e com as outras crianças são a base para a sua aprendizagem e desenvolvimento.
É muito importante prestar atenção às suas dúvidas e angústias, tranquilizando-as e ajudando-as a compreender a importância do cumprimento destas novas regras, para a segurança e bem-estar de todos.

Continuaremos a manter a celebração das 10h45 como a “missa da catequese”. A preparação terá em conta as circunstâncias que vivemos.
As festas de cada ano de catequese serão celebradas. A exemplo do que aconteceu no mês de julho, com a Primeira Comunhão e Profissão de Fé, iremos preparar cada celebração com cuidado para serem celebradas com dignidade sendo, também, um marco significativo na caminhada de fé de todas as crianças e suas famílias.

Relembro que ainda podem fazer a inscrição para a catequese; e peço o vosso contributo e disponibilidade de modo particular para ser catequista.

Unidos como família cristã
Pe. Feliciano Garcês

Partilha

Paróquia, Comunidade Responsável e Participativa

“…A paróquia é de todos, para todos e construída por todos….”

Na Igreja, pelo baptismo, todos somos iguais em dignidade e todos somos responsáveis pela única missão do Povo de Deus no mundo: anunciar a toda a criatura “A doce e reconfortante alegria do Evangelho” (EG n.º9).Todos somos responsáveis da mesma maneira por esta missão, já que pela acção do Espírito Santo existem distintos ministérios, carismas e serviços. Contudo, esta diversidade não deve diminuir a responsabilidade comum, mas sim reforçá-la. A pluralidade de dons e funções demonstra que necessitamos uns dos outros nesta tarefa de levar a Alegria do Evangelho às pessoas com quem nos encontramos. Uma paróquia renovada multiplica as pessoas que realizam serviços e acrescenta ministérios para que todos se sintam fraternalmente acolhidos, valorizados, visíveis e eclesialmente incluídos.

Pluralidade de carismas e de ministérios não significa caos ou ameaça à unidade da comunidade, mas antes, riqueza de dons do Espírito, que é uno e actua para construir a unidade e a caridade. A paróquia é de todos, para todos e construída por todos.

No misterioso entrelaçamento entre o agir de Deus e aquele do homem, a proclamação do Evangelho acontece através de homens e mulheres que tornam credível aquilo que anunciam com a vida, numa rede de relações interpessoais que geram confiança e esperança. No período atual, muitas vezes assinalado pela indiferença, pelo fechamento do indivíduo em si mesmo e pela rejeição do outro, a redescoberta da fraternidade é fundamental, a partir do momento que a evangelização está estreitamente ligada à qualidade das relações humanas. Assim, a comunidade cristã faz da palavra de Jesus estímulo a «avançar sempre mais profundo» (Lc 5, 4), na confiança que o convite do Mestre de lançar as redes garante a si a certeza de uma “pesca abundante”. A “cultura do encontro” é o contexto que promove o diálogo, a solidariedade e a abertura a todos, fazendo emergir a centralidade da pessoa. É necessário, portanto, que a paróquia seja um “lugar” que favorece o estar juntos e o crescimento das relações pessoais duradoUras, que consintam a cada um de perceber o sentido de pertença e de ser bem quisto.

Apesar das restrições da pandemia do Covid-19, tudo faremos para que as actividades possam acontecer, e tomaremos todas as medidas para garantir a segurança de todos.

Faça aqui o download da Ficha de colaboração pastoral: para quem desejar colaborar, integrar um ou  mais grupos da paróquia, de acordo com a sua disponibilidade.

Ficha também disponível na Secretaria da Paróquia.

 

Partilha

Partilha

Obrigado!

Estamos a terminar o ano pastoral. Um ano muito diferente por causa da pandemia que desde março alterou tudo o que tínhamos previsto. O confinamento surgiu com o estado de emergência e muitas das actividades pastorais tiveram que ser suspensas. A paragem aconteceu num momento muito especial do ano pastoral: em plena quaresma, proximidade do dia do pai, preparação para a Festa do Perdão, preparação para o campo de férias de Páscoa, Semana Santa, Tríduo Pascal… Estivemos unidos na celebração da eucaristia pelo Facebook. Com o passar do tempo fomo-nos reinventando de modo particular na catequese, jovens. Não foi como antes, mas a “chama” manteve-se viva e todos nós conscientes de sermos verdadeiros discípulos do Senhor.

Com o regresso às celebrações com fiéis fomos confrontados com uma nova realidade: equipas de acolhimento, distância social, máscaras, comunhão na mão… Graças a Deus as celebrações têm sido serenas e com boa participação.

Ao longo deste mês de julho, com todas as condicionantes nas celebrações, foi possível celebrar a Primeira Comunhão e Profissão de Fé. Todas as crianças tiveram a oportunidade de se confessarem, assim como os seus pais e padrinhos. Todas as celebrações, com pequenos grupos, foram vividas com intensidade, profundidade, alegria e simplicidade. Obrigado aos catequistas e aos pais que tudo fizeram para que as crianças dessem mais este passo. Obrigado, ainda, a todos os que participaram na preparação das crianças: preparação das confissões, distribuição de túnicas, grupo coral e equipas de acolhimento. Muito obrigado a todos pela fé, empenho, dedicação e disponibilidade. Unidos como verdadeiros discípulos do Senhor

 

Pe. Feliciano Garcês

Partilha

Grupo de Acólitos

Site do Grupo de Acólitos da Paróquia da Nossa Senhora da Boavista.

Diocese do Porto

Site da Diocese do Porto.