Comunicado

1. Tendo consciência da extrema gravidade da situação pandémica que estamos a viver no nosso País, consideramos que é um imperativo moral para todos os cidadãos, e particularmente para os cristãos, ter o máximo de precauções sanitárias para evitar contágios, contribuindo para ultrapassar esta situação.

2. Nesse sentido, embora lamentando fazê-lo, a Conferência Episcopal Portuguesa determina a suspensão da celebração “pública” da Eucaristia a partir de 23 de janeiro de 2021, bem como a suspensão de catequeses e outras atividades pastorais que impliquem contacto, até novas orientações. As Dioceses das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira darão orientações próprias.

3. Estas medidas devem ser complementadas com as possíveis ofertas celebrativas, transmitidas em direto por via digital.

4. As exéquias cristãs devem ser celebradas de acordo com as orientações da Conferência Episcopal de 8 de maio de 2020 e das autoridades competentes.

5. Exprimimos especial consideração, estima e gratidão a quantos, na linha da frente dos hospitais e em todo o sistema de saúde, continuam a lutar com extrema dedicação para salvar as vidas em risco. Que Deus abençoe este inestimável testemunho de humanidade e generosidade e que eles possam contar com a solidariedade coerente e responsável de todos os cidadãos, a fim de que, com a colaboração de todos, possamos superar esta gravíssima crise e construir um mundo mais solidário, fraterno e responsável.

6. Pedimos que, a nível individual, nas famílias e nas comunidades, se mantenha uma atitude de constante oração a Deus pelas vítimas mortais da pandemia, pedindo ao Senhor da Vida que os acolha nos seus braços misericordiosos, e manifestamos o nosso apoio fraterno aos seus familiares em luto.

Lisboa, 21 de janeiro de 2021

Partilha

Comunicado Pastral

Devido ao agravamento da situação provocada pela pandemia covid 19, foram apresentadas novas medidas para o estado de emergência. Pede-se o dever geral de recolhimento domiciliário, em que "a regra é ficar em casa"; são autorizadas deslocações para comprar bens e serviços essenciais, desempenho de atividades profissionais, frequência de estabelecimentos escolares, prática de atividade física e desportiva ao ar livre. É proibida a circulação para fora do concelho do domicílio no período compreendido entre as 20:00 de sexta-feira e as 05:00 de segunda-feira. Todos os estabelecimentos estarão encerrados ao fim de semana, excepto os de venda alimentar, e os outros previsto no decreto lei.
Neste momento está a ser ponderado o encerramento das escolas. Os números da pandemia crescem, os hospitais estão a ficar sem capacidade de resposta.

Por tudo isto, e sobretudo, para a protecção de cada um e de todos – mesmo sabendo que não é fácil decidir – vamos:

  • manter as celebrações da eucaristia de segunda-feira a sexta-feira no horário habitual, às 12h30 e às 19h. Ao fim de semana: sábado, às 11h30 (missa vespertina); ao domingo: na Igreja dos Pastorinhos, às 9h30, na Igreja Paroquial, às 10h45 e 12h.
  • Catequese e Grupos de Jovens: temos feito desde outubro sessões presenciais, agradeço a todos: catequistas, animadores, equipas de acolhimento e pais a oportunidade que proporcionámos a todas as crianças, adolescentes e jovens de continuar a sua formação cristã. Vamos continuar este caminho, mas com sessões via digital, esperando que possamos retomar em breve as sessões presenciais.
  • Grupos pastorais: continuam suspensas as reuniões presenciais, sempre que necessário serão realizadas via digital.
  • Secretaria: encontra-se aberta de segunda-feira a sexta-feira das 9h30 às 20h. Sábado das 9h30 às 13h. Solicita-se que dentro do possível, o contacto seja por telefone ou por email.
  • Atendimento do pároco e vigário paroquial: garantimos a presença para todos os que necessitem: sacramento da reconciliação, acompanhamento espiritual, ou outro assunto.
  • Apoio social: continuaremos atentos aos que mais necessitam.

O mais importante, neste momento, é cuidarmos do bem maior, a vida de todos e de cada um. Rezemos por todos os que são vítimas desta pandemia e por todos os que trabalham incansavelmente nos hospitais.

Unidos como família cristã
Pe. Feliciano Garcês

Partilha

DominGo da palavra de Deus

 

III DOMINGO DO TEMPO COMUM

A Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramento (Santa Sé) divulgou uma nota sobre o Domingo da Palavra de Deus, que o Papa Francisco instituiu, e recorda a “importância e o valor da Sagrada Escritura para a vida cristã”.

“O Domingo da Palavra de Deus, que o Papa Francisco quis que fosse celebrado todos os anos no III Domingo do Tempo Comum, recorda a todos, Pastores e fiéis, a importância e o valor da Sagrada Escritura para a vida cristã, bem como a relação entre Palavra de Deus e liturgia”, pode ler-se na nota.

O dia foi instituído a 30 de setembro de 2019 pelo Papa Francisco e fixado para o III domingo do Tempo Comum e esta nota, assinada pelo Prefeito Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramento, cardeal Robert Sarah, vem recordar “alguns princípios teológicos, celebrativos e pastorais, acerca da Palavra de Deus proclamada na Missa”.

O documento destaca que “através das leituras bíblicas proclamadas na liturgia, Deus fala ao seu povo e o próprio Cristo anuncia o seu Evangelho” e aponta para este domingo “a procissão de entrada com o Evangeliário ou, se não houver procissão, a sua colocação sobre o altar” e a necessidade de “respeitar as leituras indicadas, sem as substituir ou suprimir, e utilizando traduções da Bíblia aprovadas para o uso litúrgico”.

A recomendação do “canto do Salmo responsorial” e um pedido que Bispos, os presbíteros e os diáconos façam “explicar e fazer compreender a todos a Sagrada Escritura” na sua homilia é outro ponto do documento.

“Os Bispos, os presbíteros e os diáconos devem sentir o compromisso de desempenhar este ministério com especial dedicação, valorizando os meios propostos pela Igreja”, pode ler-se.

O “silêncio reveste-se de particular importância”, a proclamação da Palavra é um “ministério que requer uma preparação específica interior e exterior, familiaridade com o texto a proclamar e a necessária prática no modo de o proclamar, evitando qualquer tipo de improvisação” e o ambão, de onde é proclamada, deve ter cuidados especiais.

“A Igreja convida a cuidar o ambão donde ela é proclamada; não se trata de uma alfaia funcional, mas do lugar conforme à dignidade da Palavra de Deus, em correspondência com o altar: com efeito, falamos da mesa da Palavra de Deus e do Corpo de Cristo, referindo-nos tanto ao ambão como sobretudo ao altar”.

A nota pede ainda que se cuide dos livros da Sagrada Escritura, “da sua qualidade material e do seu bom uso” e, com a aproximação deste dia, aponta que “é conveniente promover encontros formativos para evidenciar o valor da Sagrada Escritura nas celebrações litúrgicas”.

No fim do documento surge a proposta de apresentar o “exemplo de São Jerónimo, devido ao grande amor que nutriu pela Palavra de Deus”. (in Ecclesia)

 

Partilha

Retomamos os Horários das Missas

 

HORÁRIOS DAS CELEBRAÇÕES

  • Igreja Paroquial Nª Srª Boavista
    :: Segunda a Sexta às 12h30 e 19h00
    :: Sábado às 16h00 e 19h00
    :: Domingo às 10h45, 12h00, 13h15 e 19h00
  • Igreja dos Pastorinhos em Francos
    :: Sábado às 18h00
    :: Domingo às 09h30

 

Partilha

Grupo de Acólitos

Site do Grupo de Acólitos da Paróquia da Nossa Senhora da Boavista.

Diocese do Porto

Site da Diocese do Porto.